sexta-feira, 26 de novembro de 2010

OLEIRO

Oleiro

O meu vaso se quebrou

Nos Teus pés aqui estou

Outra vez

Oleiro

Se quiseres me moldar

Eu estou no Teu altar

Em Tuas mãos

Eu não quero mais

Permanecer com esse vazio

Olhando tantos vasos

No rio se encherem

Eu não quero ser um vaso

Só de aparência

Que por fora é tão belo

Mas sem nada

Do Teu poder em mim

Quero ser cheio de óleo

Mas que tenha brilho

Provado pelo fogo

Mas que jorre água em mim

Quero ser um vaso

Por todos admirados

Mas que esta admiração

Exalte a Ti

Quero ser um vaso

Que sirva no Teu altar

Senhor se Tu quiseres pode me usar

Mas tem que ser agora

Quero ser uma fonte

Que jorra dos rios Teus

Pra quando alguém me olhar

Não veja meu Eu

Mas veja em mim

O Teu filho

Nenhum comentário:

Postar um comentário